25 maio, 2009

ENOJA...

A exclusão diária de Recursos Humanos capacitados (com formação e experiência profissional);
O desprezo exarado aos que este País viu nascer (crescer, reproduzir-se...);

Ser menosprezado por quem tem a "faca e o queijo" na mão (pena é que deitem fora "o pão");
"Remar" constantemente contra a maré, quando sabemos que estamos no mar ao lado do barco que transporta os condenados para um porto inseguro;

Parir sem poder dar condições de vida à família, quando nem para nós temos;
Mergulhar nas delícias de empresários (destruidores de famílias, insensíveis, obsoletos "do Restelo") sedentos por mais, muito mais, que não alcançam senão a visão do próprio umbigo;

Ter de ser outro para manter um simples contrato de trabalho;
Erguer outros quando nem força temos para sair da lama a que nos atiram;
Não vislumbrar o nosso próprio caminho porque nos vedam os olhos;
Haver impunidade aos prevaricadores e represálias aos justos;
Antever, neste nevoeiro, o círculo vicioso do trabalho precário;

Dar tudo e nada receber;
Opinar no vazio...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Bem vindo quem venha por bem e saudações especiais aos críticos construtivos.