09 outubro, 2013

Há interesses que não permitem uma alteração séria da Legislação Eleitoral

«O Presidente da República defende a alteração da lei eleitoral.
Cavaco Silva considera que a actual lei não permite uma cobertura jornalística adequada da campanha.
O Presidente diz que a legislação deve ser clara e adaptada aos novos tempo.»

http://videos.sapo.pt/MDavmGWJRRSrfBv70mYz

Concordo que a Legislação Eleitoral seja alterada mas, tenho sérias dúvidas acerca da qualidade ou tipo de democracia e direitos de cidadania que Cavaco deseja para os cidadãos em geral deste País.

A máquina eleitoral que temos tido até à data aliada a "estranhos" interesses  é que me mete medo, parece-me que há muita coisa que devia de facto ser mudada mas, que não interessa ao pequeno estado dentro do grande Estado, como por exemplo passarem a acrescentar nos boletins de voto mais duas hipóteses de escolha que são:
- ABSTENÇÃO;
- NENHUM DOS CANDIDATOS.


Afinal o poder pertence ao povo e as eleições são o melhor instrumento que todos nós temos ao nosso dispor para escolhermos as pessoas adequadas para nos representar e defender em lugares de poder.
Diria que as autárquicas são as eleições mais importantes, porque através delas escolhemos as pessoas competentes, com ética,  enfim com perfil adequado ao(s) cargo(s) distinto(s) a que se candidatam.
Quem é competente fica, quem não é bom naquilo que faz sai e é substituído.

Gostaria de partilhar convosco uma hiperligação de uma imagem resultante de vários print screen's de um grupo no facebook, os comentários constantes na mesma mostram a aversão que "representantes" (julgo eu)  de máquinas partidárias têm à mudança.

Leiam e concluam por vocês mesmos.


https://dl.dropboxusercontent.com/u/81099047/Blog/A_alteracao_da_Lei_Eleitoral_incomoda_muitos_interesses_obscuros.jpg

Nota adicional:
ao entrarem na hiperligação poderão aumentar o texto clicando com o botão do rato do lado esquerdo.


Hoje começa um programa na RTP chamado "O País pergunta"



«"O País Pergunta" coloca frente a frente políticos e cidadãos anónimos.

"O País Pergunta" vai confrontar em direto, durante 90 minutos, as principais figuras políticas do País com as questões dos portugueses que estarão em estúdio num programa conduzido por Carlos Daniel.

Para fazer perguntas ao entrevistado estarão 20 cidadãos anónimos selecionados por duas empresas de estudos de mercados, representativos da sociedade portuguesa em termos demográficos, sócio-económicos e demográficos, onde se incluem funcionários públicos, professores, desempregados, reformados, recém-licenciados, pequenos empresários, entre outros."O País Pergunta" é inspirado no modelo norte-americano "town hall meeting", que pressupõe o contacto directo entre os responsáveis políticos e as populações.»


http://www.rtp.pt/programa/tv/p30367&source=mail


Eu pergunto,

A partir das próximas eleições:

1.ª - Estarão os srs. interessados em passar a colocar nos boletins de voto mais dois itens (para além dos nomes dos candidatos) contendo o seguinte:
- ABSTENÇÃO;
- NENHUM DOS CANDIDATOS.

2.ª - Estarão os srs. interessados em passar a colocar escoteiros nas secções/mesas de voto ao invés de representantes das listas dos candidatos?




Sem comentários:

Enviar um comentário

Bem vindo quem venha por bem e saudações especiais aos críticos construtivos.