04 outubro, 2009

Sonhos 1

A - Gostas de estar aqui?

B - Sim, muito!

A - Sabes aqui todos têm de ter um papel. Primeiro vamos analisar a tua capacidade cerebral. Para isso coloca este género de capacete.

B - Está bem.

A - Depois de acordo com a tua potência e capacidade cerebral, no que se refere, à assimilação de conhecimentos damos-te a conhecer que conhecimento(s) podes absorver, aí escolhes o que desejares.

B - Ok, estou pronta podes começar.

A - Certo, então até já e já falamos, não demora nada.

A - Podes tirar o "capacete" já terminamos. O resultado é este [mostra uma "lista"], o que escolhes?

B - Medicina, pode ser?

A - Claro, o que quiseres, aliás, já te tinha dito que a escolha é tua. Agora voltas a colocar o capacete para procedermos à introdução do conhecimento no teu cérebro. Sei que na terra os humanos levavam anos a estudar para conseguir exercer mas aqui é diferente. Por exemplo na terra levavas 3 anos para adquirir conhecimentos e aqui levamos 3 horas terrestres para fazê-lo.

B - Sim, compreendo mas tenho uma dúvida, depois da assimilação fico com capacidade critica?

A - Claro, e mais, face a determinadas situações consegues parar um pouco para fazeres a interacção entre o conhecimento inserido na tua mente e a tua capacidade critica construtiva.

B - Óptimo. Tenho uma questão extra que nada tem a ver com este assunto mas, que gostaria imenso de ver respondida.

A - Pergunta, nós somos avançados ao ponto de poder responder a qualquer questão existencial.

B - Eu tenho imensas saudades do meu Planeta (a terra) e gostaria de saber se posso lá voltar?

A - Sim podes lá voltar conduzindo a tua própria nave, pois na lista consta também que podes assimilar conhecimentos "aeroespaciais galácticos". Deixa-me considerar as possibilidades... muito bem por enquanto o planeta terra ainda não tem condições para a exploração. A Hecatombe traumatizou demasiado o planeta. Podes ficar descansada que quando for possível informo-te.

B - Obrigado. És um porreiro. Tenho pena de não te conseguir ver, para um terrestre é estranha esta forma de comunicação, escuto-te no meu cérebro, das-me força e transmites-me sentimentos profundos mas, não te vejo.

A - Eu não sou matéria, utilizo a matéria quando necessário e o meu rosto não é importante... para vocês a aparência importa para nós há coisas mais importantes. As futilidades não encaixam no progresso exponencial... Sabes há coisas que estão ocultas a quem não está preparado para recebê-las...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Bem vindo quem venha por bem e saudações especiais aos críticos construtivos.