07 janeiro, 2010

"Quando a tristeza me invade, canto o FADO, e se me aperta a saudade, canto o FADO..."

... mas, como não sei cantar, grito o "raio" do FADO numa bebedeira extravasante que até as letras da palavra FADO consigo trocar acrescentando inclusive um hífen e um SE numa atitude de revolta para com o raio de uma sociedade que nos oferece (sem que tenhamos pedido) uma morte psicológica lenta e dolorosa até apagar aquilo em nós que mais interessante e nato temos, o poder de contribuir na construção de uma sociedade mais justa, digna, humana e evoluída.

Agradeço a todos os desejos de felicidades, paz, tranquilidade e alegria e espero que em vós isso exista pois, quanto a mim acho que qualquer dia os cidadãos terão de consultar o dicionário de sinónimos para saber o significado dessas palavras abstractas que só têm sentido se forem sentidas no coração de cada um.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Bem vindo quem venha por bem e saudações especiais aos críticos construtivos.