22 outubro, 2010

O ÓBVIO


Este O.E. é um pouco pior do, mais do mesmo, que a maior parte dos Portugueses estão habituados há décadas, desde que a União Europeia abriu os cordéis à bolsa para “emprestarem” dinheiro a Portugal, o que provocou uma aceleração galopante, ano após ano, do endividamento do País ao exterior, esses dinheiros nunca serviram nem aos cidadãos em idade activa para trabalhar nem aos formandos, e os que têm a sorte de ainda ter um emprego trabalham que nem uns cães e mensalmente, só podem chegar à seguinte conclusão:
- O que recebem das entidades patronais não passa, a maior parte das vezes, de uma esmola, a que se habituaram receber, desde que entraram no mercado de trabalho, consecutivamente ano após ano de suas vidas e até entrarem na 3.ª idade, e quando são empurrados para o desemprego involuntário, têm direito à esmolazita da Segurança social, a qual, só paga porque recebe os tais dinheiros que vêm do exterior, aliás, o governo até faz questão de informar os cidadãos, através dos mass média, que se o O.E. não for aprovado a Segurança social entra no caos (bancarrota).

As famílias portuguesas em vez de viverem a vida de forma harmoniosa, simplesmente sobrevivem com imensas dificuldades, nem o Presente dos meus e dos vossos filhos, netos e bisnetos, estão assegurados, quanto mais o Futuro, Futuro esse airosamente posto em risco, graças à legada e estrondosa divida que persistem impor-nos insistentemente e que só contribuirá para pôr em risco a Liberdade de todos nós (a sua, a minha, a dos seus descendentes, familiares e amigos) Portugueses, e nós continuamos assistindo a tudo isto impávida e serenamente.
De vez em quando os sindicatos resolvem fazer uma greve para acalmar os ânimos da populaça que para ali anda pelas ruas, tipo “Maria vai com as outras”, sempre tudo controladinho, para maná dos empresários, governos e políticos que, se riem nas nossas costas desvalorizando todas essas constantes movimentações humanas “contestatárias” (programadas propositadamente pois, o esquema é todo estudado antecipadamente) e altamente controláveis e castráveis na sua liberdade de acção e de participação literal na sociedade, o povo é incapaz de se impor graças à castração financeira a que é forçosamente sujeito em prol de altos interesses dos mercados e afins.


Os dinheiros que têm entrado em Portugal só têm servido para o locupletamento de uma pequena percentagem da população, isto é, para os prepotentes e desde sempre abusadores poderosos, que ocupam lugares distintos e cimeiros muito bem remunerados, e cidadãos “engraxadores de meia tigela” que, muitas vezes comem e calam só para conservarem um simples, precário e mal remunerado contrato de trabalho.

Como o dinheiro da União Europeia não chega para a voracidade infernal de muitos mafiosos (que, ainda por cima andam às claras e creio que toda a gente os conhece pois, já perderam a vergonha há imenso tempo, isto para não falar na falta de respeito que nutrem pela população em geral e o progressivo desrespeito quer pela justiça como pela instituição família, num modus operadis inconsequente que só serve os seus próprios e pessoais interesses, contribuindo enormemente para o aviltamento do progresso e do avanço do País) depois, ainda andam a estender as "manápulas" ao FMI – Fundo monetário Internacional, alegando que é para acalmar os mercados, coitados não vêem ou não querem ver que estão secundarizando a população em geral  e que este O.E. só serve para enterrar o País a muito curto prazo, ou seja, a descalabro total chegará a médio prazo na forma de uma bancarrota.

Há um livro que foi escrito em 1960 por Louis Pauwels e Jacques Bergier que se chama “O despertar dos mágicos” que é bastante actual, infelizmente! Que tem uma frase que sintetiza tudo aquilo que acabei de dizer:

«… Os governos, quer sejam totalitários ou democratas, não renunciarão. Não renunciarão por duas razões. A primeira é que a opinião popular não pode abranger a questão. A opinião popular não possui nível de consciência planetária
suficiente para reagir. A segunda é que não há governos, mas sociedades anónimas com capital humano, encarregadas, não de fazerem a história, mas de exprimir os diversos aspectos da fatalidade histórica…», hiperligação, clique aqui.



Concluindo:
Estamos a ser comidos por parvos, sem dó nem piedade, e Portugal é um País em vias de extinção, neste momento somos um País condenado tendencialmente a um miserabilismo crónico (desemprego; pobreza; créditos “oferecidos” por caçadores e assentadores da desgraça humana; nova escravatura laboral; impostos, taxas e afins…)

1 comentário:

  1. Enquanto que uns andam a fazer viagens espaciais, hiperligação:

    http://www.caminhodasestrelas.pt/index.php?p=noticias&idnoticia=40

    http://dn.sapo.pt/dnmultimedia/embeds/Portugal/verao_2010/viajar/turismoespacial.html


    Outros a financiar campos de futebol na Palestina, hiperligação:

    http://english.pnn.ps/index.php?option=com_content&task=view&id=2282.html



    Outros a ganhar em Angola e na Etiópia às custas da desgraça alheia;

    Outros a vir para Portugal (porque é um país bom para a corrupção) como é o caso do general 'Kopelipa'(World White Capital [com sede em Lisboa], que detêm 7,9 por cento do Banco BIG em Portugal, o que é ilegal",), hiperligação:

    http://www.observatoriodoalgarve.com/cna/noticias_ver.asp?noticia=38301

    Outros a comprar submarinos e a fazer tgv's que só ligam Portugal à Espanha (como se a Europa fosse só a Espanha);

    Isto para não falar em despesas em W.C.'s de luxo na A.R., em carros de marca de alta cilindrada, viagens semanais a uma deputada que vive em Paris (quando aos professores a leccionar fora da sua área de residência nem a despesa de transporte pagam) entre outras viagens e despesas de custo a deputados que provavelmente nem sabem o que são vídeo-conferências;

    Quem tem iates e embarcações de recreio paga 0,80€ por litro de gasóleo (desculpem lá por eu também não ter um iate de luxo!, hiperligação:

    http://vergonha-combustiveis.blogspot.com/2008/06/tens-um-iate.html

    E muito mais haveria a dizer, vêm estes gajos com um O.E. que vai esmagar o povo, e é triste que queiram cobrar IVA a 23%: no leite mimosa com sabor a morango (estamos a falar de lacticínios e não de diamantes; carros de luxo; mansões; caviar; lagosta; vinhos franceses para riquinhos; e similares); no Icea-tea; etc.; cortam nos vencimentos (o que é ilegal); cortam nas reformas (por outro lado acho bem que cada português só tenha uma única reforma); cortam nos subsidios (fazendo chantagem com a população que caso o orçamento não seja aprovado a S.S. entra em bancarrota)....
    Enfim é o descalabro total, uma grande pouca vergonha; não respeitam o País nem os seus habitantes.

    Agora uma citação para desenjoar:
    As ditaduras fomentam a opressão, as ditaduras fomentam o servilismo, as
    ditaduras fomentam a crueldade; mas o mais abominável é que elas
    fomentam a idiotia"

    Jorge Luis Borges
    Argentina[1899-1986]Escritor

    ResponderEliminar

Bem vindo quem venha por bem e saudações especiais aos críticos construtivos.