21 novembro, 2009

Portugueses vitimados pelo Regime Político-Laboral Português

**************** Texto em construção, agradeço a vossa colaboração através de comentários! ***************


++++++++++++++++++++++++++++++++++++


Símbolo da ESCRAVATURA LABORAL PORTUGUESA:

o VERDE - A esperança a que nos induzem (enquanto Ocupacionais e inclusive enquanto precários) constantemente mediante referências do tipo: - decerto lhe farão um contrato de trabalho (depois da actividade ocupacional) pois, temos muito serviço e estamos a precisar de trabalhadores;

o VERMELHO - O sangue que será derramado por uma guerra civil num futuro próximo;

o PRETO - Cidadãos em nojo e enojados pela forma como são tratados pelo seu próprio País.

o AMARELO - É a cor da palidez humana (da doença) mas, também pode ser a cor do ouro, isto é, do dinheiro que tudo isto oferece de bandeja em forma de negócio também à indústria farmacêutica. Graças ao mal estar da população Humana ultrajada em cada inspiração que sente, em cada poro da pele, seus limites ultrapassados são (resultado da insegurança laboral imposta, por gente sem escrúpulos que se regozija à condição em que deixam ao abandono milhares, senão milhões de seres Humanos que podem e deveriam dar um enorme contributo para a sociedade, porque todos somos gente e todos temos direito a ter um lugar ao Sol neste Mundo). Limitam nossas vidas com amarras e mordaças invisíveis (daquelas que só se sentem na carne e na alma) e quando os limites razoáveis à capacidade Humana são ultrapassados aí vamos ao médico porque necessitamos de medicação (para a depressão; ansiedade; pensamentos de suicídio; esgotamentos...) enfim para conseguirmos aguentar, quiçá quanto tempo mais, tanta falta de respeito e consideração...



Símbolo dos Desempregados em Actividade Ocupacional


Peço a todos os Ocupacionais que passem a utilizar este símbolo (enquanto estiverem a prestar o trabalho socialmente necessário) no lado esquerdo do peito.


*************************************************

PLANO LABORAL de Regime!

Programas Ocupacionais para todos os cidadãos desempregados em idade activa para trabalhar:

Pessoas desempregadas, inscritas no Centro Regional de Emprego, não beneficiárias das prestações de desemprego.



Beneficiários das prestações de desemprego, Programa Ocupacional de Trabalhadores Subsidiados


Programa Ocupacional para Séniores, Pessoas desempregadas, inscritas no Instituto Regional de Emprego, não beneficiárias das prestações de desemprego e com idade igual ou superior a 55 anos.


????????????????????????????????????????????????????

O que somos nós:

Portugueses e Cidadãos de 2.ª ;
Desempregados involuntários graças às sucessivas políticas de emprego;
Ocupacionais a ocupar postos de trabalho;
Capital Humano;
Não entramos nas estatísticas de desemprego;




Não temos direito a:
Receber nem subsídio de férias nem de Natal;
Uma carreira profissional;


....................


ENQUADRAMENTO LEGAL
para os cidadãos Portugueses de 2.ª (os que não têm direito a um emprego a sério, isto é, 1 emprego seguro, vencimento compatível com as funções e progressão na carreira profissional, subsídio de férias e de Natal):

Portaria n.º 128/2009 de 30 de Janeiro


Regulamento - Medidas - Contrato emprego-Inserção e Contrato Emprego- Inserção +


Anexo 1 - Modelo de Contrato Emprego-Inserção e de Contrato Emprego-Inserção + para Desempregados Beneficiários das Prestações de Desemprego

*********************************************

7 comentários:

  1. Olá Gina!
    Vim até aqui desde o Facebook...
    Já estou um pouco cansada para comentar "ao meu jeito". No entanto, deixo aqui uma contradição, que salta à vista e que, a meu ver, encerra o cerne do "problema"... apontando a solução (como sabe eu defendo que todos os problemas da sociedade têm solução, DESDE QUE HAJA DEMOCRACIA; isto é: desde que A DEMOCRACIA FUNCIONE realmente.
    A contradição é: "ocupacionais"; ou seja: pessoas "disponíveis", enquanto profissionais, desempregados, que são colocados a "fazer umas coisinhas" para não estarem desocupados...
    a çprestar TRABALHO SOCIALMENTE NECESSÁRIO.
    Mas se o "trabalho" é "socialmente necessário" porquê não é transformado em função? Em postos de trabalho.
    Não se preocupe. Eu respondo. Porque não há dinheiro.
    Pois não! Não há dinheiro porque este é desviado do "SOCIALMENTE NECESSÁRIO" para os bolsos de alguns, CRIMINOSAMENTE... Como por exemplo para sustentar 230 Deputados que nada fazem, que não têm qualquer utilidade nem são "socialmente necessários". Os deputados são apenas um deminuto exemplo, embora o Parlamento absorva 10% da Despesa Púiblica Corrente...
    Afinal saiu melhor do que eu pensava... Ainda não lhe perdi o jeito, mesmo sem tempo e apesar do cansaço...

    ResponderEliminar
  2. Há que mudar este regime.
    Não pactuemos nem mais um dia com a hipocrisia.
    Viva a Monarquia.
    A Bem da Nação!

    ResponderEliminar
  3. Cesar Salgueiro15 fevereiro, 2010

    Cada ser humano é um Gerador politico, uns utilizam essa força geradora, outros não, quem a utiliza, poderá fazê-lo bem, ou mal. Aqueles que a não utilizam não devem condenar os que a utilizam mal. Devem é substituí-los... Comparo um pouco com, um agricultor com terra para semear, não cultiva essa terra, e depois criticar o facto de só haver erva. Mas isto não é o trabalho de um mas de uma sociedade ,que acho socialmente, demasiado comodista

    ResponderEliminar
  4. Cesar Salgueiro17 fevereiro, 2010

    Sujo como vinho a martelo , e não claro como a agua, quem emite a sua ópinião e esconde o contrário, é um frustrado e incapaz , não devia de ter o direito de ser ouvido. Porque o direito á palavra só devia ser dado aos capazes de ouvir. Antes de mudar um regime mude-se a si que sendo dificil , pelo menos o efeito é do tamanho da causa

    ResponderEliminar
  5. Sr. cesar salgueiro,

    V/Exa. lá sabe do que bebe e pelos vistos veio beber ao claro como água e compreende-se que quem está acostumado ao vinho a martelo sempre acaba por se sentir mal, obviamente.

    Quanto à classificação que faz dos meus sentimentos («... frustrado e incapaz...») engana-se redondamente eu ainda não cheguei a esse ponto porque sei observar o mundo à minha volta.
    Aqui entre nós que ninguém nos ouve: - O coeficiente emocional da generalidade dos Portugueses é bem capaz de andar por aí principalmente para os maiores de 30 anos (idade limite exigida pela grande parte de empresas que procuram trabalhadores). Os empresários, administradores, gestores, chefes enfim, a selecção de recursos humanos e as politicas empresariais públicas e privadas são simplesmente medíocres aproveitam-se da experiência e formação profissionais dos cidadãos em idade activa para trabalhar oferecendo-lhes parcos salários e subsídios sociais.
    A indústria do trabalho é miserávelista a todos os níveis...

    V/Exa. deve ser daqueles que só são capazes de ouvir e incapazes de escutar e fique sabendo que vivemos numa democracia e todos têm direito à palavra, veja bem, até as empregadas de limpeza, os trabalhadores de esgotos, os trabalhadores agrícolas, os calceteiros, os Drs., Engs., o P.M., o P.R., o Papa, o Dalai Lama, as crianças... enfim todos e até V/Exa. têm direito à palavra.

    DIGO-LHE MAIS, SE ME VOLTAREM A OBRIGAR A FAZER ACTIVIDADE OCUPACIONAL UTILIZAREI ESSE SÍMBOLO E INCENTIVAREI OUTROS A FAZÊ-LO

    ResponderEliminar
  6. 1.º - Só um ignorante é que desvaloriza esta causa;
    2.º - Eu não dei autorização a ninguém para que Ocupacionais possam mexer no meu registo civil; no meu processo médico...

    ResponderEliminar
  7. Não há dinheiro para transformar os ocupacionais em funcionários, mas há dinheiro para gastar em flores na residência do PM. Gastam, por dia, mais do que eu gasto em gasolina em duas semanas (+- 55€/dia). Guerra civil? Só se for contra os chupistas demagogos...

    ResponderEliminar

Bem vindo quem venha por bem e saudações especiais aos críticos construtivos.