06 junho, 2011

A minha distribuição de mandatos para a A.R. seria assim:



Na A.R. a minha distribuição de mandatos seria desta maneira (sei que ainda não está tudo apurado mas, não interessa!), só quero transmitir a ideia.

Informo que para chegar ao nr. de mandatos multipliquei as décimas por 230 (nr. total de lugares na A.R.).

Tive por base os números de votantes constantes na seguinte hiperligação:
Eleições Legislativas de 5 de Junho de 2011, Resultados Globais


Concluindo neste caso seriam:
128 lugares atribuídos aos partidos políticos;
102 lugares atribuídos a especialistas e mestres das várias áreas do conhecimento; e obrigatoriamente também especialistas em direitos humanos por forma a quem os direitos fundamentais não sejam feridos.


Mais ideias? Outros cálculos? Digam de vossa justiça, please!






+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++


Um amigo virtual (do facebook) no outro dia perguntou-me:

«Como se apuravam esses 102 especialistas/mestres ?»

A minha resposta foi a seguinte:

«Quantos portugueses já foram distinguidos fora do nosso País em várias áreas?
Quantos portugueses se distinguem em várias áreas profissionais (graças à prática em campo)?
Quantos portugueses são bons em matemática, sim porque precisamos de génios para fazerem as contas.
Quantos portugueses formados em direito constitucional, em direitos humanos temos?
O que falta fazer em Portugal, em que áreas temos de avançar para progredir?

Os destinos dos cidadãos não podem continuar a ser administrados e geridos de forma incompetente e irresponsável nem tão pouco nos temos de submeter, subalternizar, humilhar, a poderes exteriores. Temos de organizar a nossa casa de forma inteligente, não podemos deixar que nos vendam a dignidade, a alma de um povo a poderosos sem escrúpulos...»

Sem comentários:

Enviar um comentário

Bem vindo quem venha por bem e saudações especiais aos críticos construtivos.